Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

ARQUITETOS BELGAS CONSTRUÍRAM ESCRITÓRIO ELEVADO PARA EVITAR CHEIAS

Mäyjo, 16.07.15

escritorio1

O escritório anti-cheias

COREIA DO SUL: DESCARGAS DE AUTOCLISMOS CRIAM NOVA FORMA DE ENERGIA LIMPA

Mäyjo, 16.07.15

Coreia do Sul: descargas de autoclismos criam nova forma de energia limpa

Cientistas da Coreia do Sul criaram uma nova forma de extrair energia do movimento da água, passível de ser efectuada com as gotas de chuva ou, inclusive, com as descargas do autoclismo. Desta forma, a energia limpa ganha toda uma nova dimensão de sustentabilidade.

A ideia está a ser desenvolvida por Youn Sang Kim e os seus colegas da Universidade Nacional de Seul e do Instituto de Tecnologia Eletrónica da Coreia do Sul (KETI), que adaptaram um transformador que converte a energia mecânica do movimento da água em energia elétrica.

Quando os materiais dielétricos são introduzidos na água, uma dupla camada eléctrica forma-se à volta do seu exterior. As variações entre a água e a camada induzem cargas eléctricas num eléctrodo.

Os investigadores esperam que o seu trabalho possa ser aplicado no dia-a-dia e, aliás, esta é uma possibilidade realista, uma vez que os eléctrodos, feitos de polímeros, são flexíveis e transparentes, podendo cobrir janelas, telhados e mesmo vasos sanitários para a geração de energia.

“Os pesquisadores aproveitaram-se da electrificação de contacto entre um polímero e gotas de água em movimento para criar um colector de energia simples”, explicou ao Treehugger Andreas Manzel, que desenvolve nanodispositivos de semicondutividade na Universidade de Freiburg, na Alemanha. “Existe muita água em movimento, no nosso ambiente, onde estes tipos de geradores podem encontrar aplicações”, concluiu.

A estranha habitação de Cabo Romano

Mäyjo, 16.07.15

Durante muitos anos, uns edifícios bizarros isolados no extremo sul da Ilha Marco, em Cabo Romano, na Flórida, foram uma fonte de mistério. Alguns habitantes da ilha pensavam que os edifícios teriam albergado cultos secretos. Outros que as habitações eram edifícios secretos do exército e havia ainda o rumor que as construções tinham sido deixadas para trás por extraterrestres.

Atualmente, estas habitações caiadas de branco são gradualmente reclamadas pelo mar, avançando centímetros todos os dias em direção à sua sepultura aquática. No entanto, o mistério da origem da construção foi finalmente revelado.

O edifício era na verdade uma casa de férias, equipada com painéis solares, construída na década de 1980 por Bob Lee, um produtor independente de petróleo. Este projeto, quase autoconstruído por Lee, foi pioneiro a nível da tecnologia sustentável muito antes de se ter em conta preocupações com a sustentabilidade das habitações. A casa sobreviveu mesmo a pelo menos um furacão, em 1992.

Antes de construir a versão de férias, na Flórida, Bob Lee construiu um protótipo do edifício nos terrenos da família em Gatlinburg, no Tennessee. Também esta construção sobreviveu ao tempo, mas sofre de problemas de humidade, de acordo com a filha de Bob, Janet Maples.

Até 1993, a habitação em forma de domo foi habitada por Janet Maples e o seu filho, ainda bebé.

Depois do furacão, a casa, assim como muitas outras na linha costeira que foram atingidas, foi sendo gradualmente abandonada, com a família a passar cada vez menos tempo lá.  Em 2005, a habitação foi comprada por John Tosto, mesmo antes do furacão Wilma, que causou grandes estragos nos domos e reduziu a linha de costa, refere o Inhabitat.

Na altura da venda, Bob Lee avisou John Tosto, pelo que com a subida do nível do mar seria necessário instalar uma barreira. Uma década antes a família Tosto poderia ter construído o paredão mas, em 2007, o Department of Environmental Protection e o Collier County Code Enforcement Board ordenou que as casas fossem demolias, devido ao perigo que enfrentavam.

No entanto, a habitação nunca chegou a ser destruída e hoje permanece em ruínas, parcialmente submersa pelas águas do mar.

PEQUENAS ERUPÇÕES VULCÂNICAS PODEM ESTAR A AJUDAR A TRAVAR O AQUECIMENTO GLOBAL

Mäyjo, 16.07.15

erupcao_SAPO

As pequenas erupções vulcânicas dos últimos 20 anos podem estar a ajudar a travar o aquecimento global. A conclusão é de um novo estudo que descobriu que os aerossóis ricos em enxofre provenientes das erupções têm ajudado a reflectir uma maior quantidade de luz solar da superfície terrestre. Até agora pensava-se que apenas as erupções de grandes proporções tinham um impacto significativo no clima.

Segundo o estudo, as pequenas erupções poderão ter ajudado a diminuir as temperaturas globais do planeta entre 0,05 e 0,12 graus Celsius nos últimos 15 anos, graças ao impacto cumulativo na temperatura global.

Desde 1998, o ano mais quente de que há registo, o aumento das temperaturas globais desacelerou, o que contrariou os modelos computacionais para as alterações climáticas. Este hiato tem sido atribuído a uma actividade solar menos intensa e aumento da absorção do calor pelos oceanos. Porém, o novo estudo – elaborado por investigadores do Lawrence Livermore National Laboratory, na Califórnia – indica que os aerossóis ricos em enxofre provenientes das erupções vulcânicas que se acumulam entre a estratosfera e a troposfera ajudam a reflectir a luz solar que chega à superfície terrestre e, como tal, funcionam como um travão ao aquecimento global.

O estudo concluiu ainda, escreve o Daily Mail, que a erupção de 1991 do Pinatubo, o vulcão da Ilha de Luzon, nas Filipinas, provocou uma diminuição da precipitação tropical. “O facto de estas erupções vulcânicas serem aparentes em múltiplas variáveis climáticas medidas independentemente suporta a ideia de que estão a influenciar o clima, apesar do seu tamanho moderado”, afirma Mark Zelinka, climatólogo no Lawrence Livermore e autor do estudo.

Foto: Bergur Ólafsson / Creative Commons

CHINA: BARRAGEM DAS TRÊS GARGANTAS TEM CAUSADO DESMORONAMENTOS GIGANTES

Mäyjo, 16.07.15

tres gargantas_a

A barragem das Três Gargantas

Fotos: Michael Gwyther-Jones / Anita Ritenour / Patrick Denker / Roderick Eime / k y / Andrew Hitchcock / Leo Fung / Ray_from_LA / Gaynor / Creative Commons